Publicado em

Dicas de presentes de Natal para o seu Nerd

Chega esse época do ano, e sempre temos dificuldades para escolher presentes, seja para nossos próprios nerdzinhos ou para os seus pais. Montei uma pequena lista de sugestões, pensando em itens que rendem boas brincadeiras junto com os adultos ou, em alguns casos, dão bons presentes para os pais também!

Livros

  • Bebê – Manual do Proprietário

O livro Bebê – Manual do Proprietário é ótimo para recém-grávidos. Dá uma visão bem humorada sobre o que é cuidar de um bebê. Existem outros melhores do ponto de vista de conteúdo e dicas práticas, mas no quesito diversão na ceia de natal esse é ótimo.

  • HTML for Babies
Esse é fantástico. O HTML for Babies, e seu irmão CSS for Babies, apresentam de forma visualmente atraentes o formato do código que nos nerds tanto amamos (e as vezes odiamos). Não encontrei esse em livrarias nacionais, os links que apresento são da Amazon – não sei se dá tempo de encomendar para o Natal…
Lego!
Não sei vocês, mas eu adoro Lego, e é de longe a minha brincadeira favorita com a Aninha. Então que tal uns modelinhos inspiradores?
  • Robôs
A linha Hero Factory tem robôs muito bacanas, que custam por volta de R$50, tornando-os presentes relativamente acessíveis. E nunca é cedo demais para estimular o amor pelas máquinas 🙂
  • Star Wars
Existe uma grande variedade de kits de Lego do Star Wars, que vão desde kits pequenos de mais ou menos R$60, até uma estrela da morte por R$1.230. O relógio digital talvez não seja o presente ideal para o seu pequeno, mas eu certamente gostaria de ganhar um!
Dicas variadas
  • Dedoches

Quem é nosso leitor assíduo sabe que sou fã de qualquer coisa que estimule o pensamento criativo nas nossas crianças. Um kit de dedoches é uma forma barata de fazer com que as crianças contem suas próprias histórias, e os dedoches são mais fáceis de caber em mãos pequenas do que fantoches de mão inteira. Monte um palco numa caixa de sapato e deixe seu nerdzinho contar a história de sua preferência. Por exemplo, veja esse kit de dedoches dos três porquinhos no Elo7.

  • Fantasias

Mais uma vez na categoria “vamos estimular a criatividade da gurizada”, fantasias rendem horas e horas de brincadeira de faz-de-conta. A escolha do personagem pode variar conforme o gosto do seu nerdzinho. Aqui em casa, favoritos são a Chapeuzinho Vermelho, a Branca de Neve e uma pseudo-bailarina que na verdade mistura as fantasias de princesa, Uniqua dos Backyardigans e e bailarina de fato.

Publicado em

A “Querida Sophie” da Google

Já viram a nova campanha da Google para o Chrome? A campanha se chama “Dear Sophie”, e mostra um pai mandando emails, vídeos e fotos da filha crescendo para ela mesmo, criando uma espécie de diário da sua infância para que ela mesmo leia quando crescer. Chorei. Ainda mais porque estou a quase duas semanas viajando, e a saudade faz coisas estranhas com a nossa mente…

Publicado em

“Escolas matam a criatividade”, por Sir Ken Robinson

Depois da discussão gerada pelo post sobre o método montessoriano de ensino e a importância da criatividade na educação de nossas crianças, lembrei da espetacular palestra do Sir Ken Robinson, chamada “As escolas matam a criatividade” e fui assisti-la novamente hoje. Na época em que estamos acostumados com os 140 caracteres do Twitter, recomendar uma palestra de vinte minutos parece um absurdo, mas vale muito a pena. Aproveitem o intervalo do almoço ou do cafezinho para assistir, está legendada em Português.

Para trazer um pouco de contexto, a palestra foi apresentada na TED Conference de 2006. A TED é um evento, ou na verdade grupo de eventos, dedicada a explorar os temas de “Technology, Entertainment and Design”, e hoje tem edições no mundo todo. São Paulo já teve uma edição do TED, chamada TEDx São Paulo – o x indica que foi uma edição organizada por um grupo independente, emprestando o nome e o formato do evento.

Publicado em

Educando seu filho para a criatividade

Com a nossa recente mudança de cidade, houve também a consequente mudança da escolinha. Embora esse assunto possa ser traumático, especialmente em crianças já com um pouco mais de idade, no nosso caso foi uma delícia. Como voltamos para a cidade onde passamos nossa infância, matriculamos a filha na mesma escola onde minha esposa e seus irmãos estudaram. Mas a grande surpresa e satisfação para mim foi conhecer o método de ensino que a escola utiliza, o método Montessoriano.

O método Montessoriano de ensino foi criado pela médica e educadora italiana Maria Montessori no início do século XX, e está fortemente baseado no princípio da educação auto-direcionada. É dada às crianças liberdade para, por exemplo, escolher com que material querem brincar em um dado momento durante o dia escolar, e todos os materiais ficam permanentemente expostos na sala de aula ao alcance de todos. O “layout” da sala de aula montessoriana é bastante diferente do de uma sala convencional, sendo pensado para estimular a exploração e a descoberta.

Outro ponto que achei fantástico: as crianças ficam em turmas “agrupadas” por faixa de idade, em que cada turma tem crianças com até três anos de diferença. Há turmas de 1 a 3 anos, depois de 4 a 6, e de 7 a 9. A idéia é que essa situação reflete mais adequadamente a realidade social da criança, e faz com que ela passe pela experiência de ser o mais novo e o mais velho da turma, conhecendo as diferentes condições em cada situação. Minha filha está no lado mais novo da turma dela, e é muito divertido ver as meninas mais velhas querendo cuidar dela, ajudar a carregar a mochila, e ver como ela aprende com elas certos hábitos – ela já dá abraço e beijinho em todos os colegas quando vai pra casa no fim do dia, é hilário….

O método montessoriano tem um foco muito grande em estimular a criatividade e o pensamento próprio nas crianças. Basta ver uma pequena listinha de figurinhas conhecidas que estudaram em escolas montessorianas: os dois fundadores do Google Sergey Brin e Larry Page, o criador da Amazon.com Jeff Bezos, o fundador da Wikipedia Jimmy Wales, a celebridade dos jogos de computador Will Wright (que criou o “Sim City” e “The Sims”). Uma reportagem publicada recentemente no Wall Street Journal brinca que deve haver uma máfia montessoriana, dada a quantidade de inovadores e empreendedores que cresceram estudando pelo método. O artigo cita ainda estudos que comprovam a grande porcentagem de ex-alunos montessorianos entre fundadores e líderes de empresas na Europa. Segundo o autor da pesquisa, “os inovadores não só aprenderam cedo a pensar diferente, eles agem diferente”.

Como foi brilhantemente demonstrado na famosa apresentação “Shift Happens” (veja no Slideshare a versão traduzida, altamente recomendada pra quem ainda não viu), nós temos que preparar nossos filhos para exercer funções e executar atividades que ainda não existem, não foram inventadas. Sendo assim, a única forma de prepará-los é torná-los pessoas criativas, curiosas, capazes de explorar e aprender por conta própria. Em um país onde a única preocupação das escolas parece ser formar pessoas capazes de passar no vestibular, e não cidadãos com autonomia e capacidade para compreender e refletir sobre seu universo, acho essa capacidade fundamental. Reflita sobre isso antes de escolher a escola do seu filho, e se houver uma escola montessoriana na sua cidade, recomendo muito fortemente uma visita.

Publicado em

Páscoa sem chocolate – mais saudável, mais divertida

Minha filha, por mais que a gente tente, não gosta de chocolate. Na verdade ela não gosta de nenhuma bobagenzinha de comer, exceto por pipoca. Na época da Páscoa, isso acaba sendo um problema, já que o tradicional ovo de chocolate não vai ter muito impacto na nossa casa. Então, o que usar para substituir o tradicional ovinho de chocolate?

O Parent Hacks, site norte-americano com dicas para pais de quem sou fã declarado, deu uma sugestão que achei extremamente bacana: encha ovinhos com peças de Lego. Imagina que bacana, depois da caçada pelos ovos pela casa toda, ao invés daquela comilança e consequente momentos de desconforto digestivo, horas de diversão montando brinquedos com as pecinhas de Lego.

Na verdade, é possível usar qualquer pequeno objeto que caiba dentro dos ovinhos. Alguma outra sugestão?

Publicado em

Guia do enxoval do bebê, parte II – acessórios

Seguindo a nossa série de artigos que ajudam os pais a entender os itens das listas de enxoval (veja também o primeiro artigo do guia do enxoval do bebê), vamos agora aos acessários, aqueles pequenos itens que auxiliam no dia a dia, desde que a gente saiba o que são e para que servem…
  • Aspirador nasal

Aparelho que segue o mesmo princípio do desentupidor de pia, porém aplicado às narinas do bebê. Serve para remover secreções (tatu) do nariz, assim desobstruindo as narinas e facilitando a respiração. Importante não confundir com um conta-gotas para medicamentos, principalmente após o uso.

  • Xuquinha

Espécia de mamadeira pequena, com bico de látex, usada para servir líquidos em pequenas quantidades a bebês. Antigamente usava-se muito para servir os famosos chazinhos. Hoje em dia os médicos dizem que não precisa dar nada além de leite para o bebê até os seis meses de idade. Alguns bebês aceitam com mais facilidade líquidos oferecidos na xuquinha, então pode ser um bom artifício para oferecer os líquidos que precisam ser tomados de qualquer jeito (xaropes, óleo mineral, ou outros conforme o caso).

  • Moisés

O moisés é um cesto rígido, bastante confortável, que pode ser usado para o transporte de bebês ainda pequenos ou em substituição ao berço nas primeiras semanas de vida. Alguns conjuntos de carrinho de bebê trazem o moisés como complemento. Pessoalmente nunca usei, mas acredito que possa ser uma maneira bacana de manter o bebê confortável em translados curtos (nunca de carro, claro, onde a cadeirinha/bebê conforto são obrigatórios), ou para que um bebê recém-nascido possa dormir perto dos pais nas primeiras semanas.

  • Regurgitadores

O regurgitador é o melhor amigo do guarda roupa de pais de bebês recém-nascidos. É aquele paninho que se coloca no ombro quando se pega o bebê para arrotar depois de mamar. Evita que qualquer leite regurgitado pare diretamente sobre a sua camisa novinha.

  • Babá eletrônica

Não é uma equivalente à Rosie dos Jetsons, mas sim um walkie-talkie de mão única, extremamente útil para quem mora em casas ou apartamentos maiores, onde é possível ficar fora do alcance auditivo do seu bebê chorando no berço. Até pouco tempo atrás era um item absurdamente caro no Brasil, valendo a pena importar através de amigos viajantes. Hoje em dia encontram-se bons modelos a preços mais razoáveis. Pessoalmente, enquanto morava em apartamento nunca usei, mas depois que nos mudamos para uma casa passou a ser um item imprescindível.

Espero que essa lista ajude a decifrar mais uma seção da sua lista de enxoval. De qualquer forma, fique tranquilo, você provavelmente ainda tem pelo menos uns seis meses para se adaptar ao novo vocabulário 😉

Publicado em

Guia do enxoval do bebê, parte I – roupas

Você foi a uma loja de bebês pela primeira vez, logo depois que soube que estava grávido, e te entregaram uma folhinha com uma lista de itens para o enxoval do bebê. Você dá uma passada de olhos, e pergunta pra moça se tem em português também. Familiar? Certamente acontece com muita gente. Mas não tema! O blog do Bebê Nerd trará um guia para a lista do enxoval, dividida em práticas seções. A seção de hoje trata das peças de roupa.

  • Pagão

Conjunto de 3 peças contendo calça, camiseta tipo regata e casaquinho, que geralmente fecha na parte de trás do bebê. Roupa antiga, usada antes da invenção do body. Dá uma mão de obra danada fazer qualquer coisa com um bebê vestindo um pagão, então evite ao máximo.

  • Body

Aquelas camisets que prendem por baixo das pernas. Tem com manga longa e manga curta, e desde os bem básicos para usar por baixo de outras roupas ou para dormir, até os ultra sofisticados. Roupa prática, fácil de lidar.

  • Culote ou mijão

Calça básica para bebê, com ou sem pés. Por que diabos não chamam de “calça” ou, no máximo, “calça de bebê”, foge completamente da minha compreensão.

  • Vira manta

Nunca usei isso, mas parece que é um pano de algodão usado atrás do pescoço para que  a pele delicada do bebê não entre em contato com tecidos que podem possivelmente causar alergia. Acho que está em desuso, possivelmente do tempo em que o “Vida do bebê” do Delamare era lançamento.

  • Cueiro

Manta de flanela usada para enrolar e/ou cobrir o bebê.

Essa é uma listinha básica que ajuda nos itens principais. Em seguida, trataremos dos demais acessórios da lista de enxoval.